Iníciohome

Dono do laboratório Lacmar é acusado de demitir funcionária que se recusou a fazer sexo

Empresário Paulo Braid Júnior debocha da denúncia de assédio sexual dizendo que espessuras exibidas na foto, tanto no comprimento quanto na largura, não reportarem a realidade das suas genitálias.

Autor: Itamargarethe

Publicado em: 04/04/2019 - 17:40

Acessado: 2656 vezes


O empresário Paulo Braid Ribeiro Júnior, diretor administrativo do Centro Ambulatorial de Diagnóstico Holandeses (CADH) e sócio proprietário do Laboratório de Análises Clínicas do Maranhão (Lacmar), está sendo acusado de assédio sexual por uma ex-funcionária. De acordo com a vítima, que já formalizou a denúncia na Delegacia da Mulher, o suspeito que era seu patrão, teria lhe assediado enviando 'nudes' para ela durante o horário de trabalho.

 

Caso seja comprovado, o comportamento do empresário pode ser considerado ofensivo e ele terá sérios problemas por conta da grave denúncia. Segundo informações obtidas pelo blog, várias fotos do suspeito nu, exibindo as genitálias, além de inúmeros trechos de conversas, via aplicativo de mensagem, foram apresentadas à autoridade policial, e deverá embasar o procedimento inquisitório que será instaurado.  

 

De acordo com as acusações, a funcionária acabou sendo demitida, pelo simples fato de não querer manter relações sexuais com o empresário, e juntamente com a mesma, outros membros da família.

 

A denunciante esteve na Delegacia da Mulher, acompanhada de dois advogados, para pedir providencias no caso.

 

 

"Além de ser muito pouco 'dotado', diga-se de passagem, os constrangimentos e humilhações já estavam além da conta. Passei por muita coisa até não aguentar mais. Chega! Basta! Não sou obrigada abrir as minhas pernas pelo simples fato dele ser um Braid", desabafou a denunciante.

 

 

A família Braid atua há vários anos na área da saúde, sendo proprietária de inúmeros empreendimentos, incluindo uma maternidade, no bairro do Olho d'Água, laboratórios e clínicas, além de manter contratos com o Governo do Estado e  Prefeituras.

 

ENCORAJANDO VÍTIMAS

Sem imaginar a repercussão, a denunciante acredita que após o caso se tornar público, outras vítimas virão à tona, pois essa é uma prática comum adotada pelo denunciado em relação a funcionárias. A reportagem apurou que existem relatos de situações parecidas, ou até piores, vividas por funcionárias e ex-funcionárias com o mesmo suspeito.

 

 

 

 

ACUSADO SE DEFENDE

Em contato, via telefone com o denunciado, este rechaçou com veemência o teor do material apresentando. Paulo Braid alegou ser fake news, haja vista as espessuras exibidas na foto, tanto no comprimento quanto na largura, não reportarem a realidade das suas genitálias.

 

 

OUTRAS DENÚNCIAS 
Indignada com todo o ocorrido, a denunciante acabou delatando varias situações, quanto a gestão das empresas, mas esse assunto deverá ser tratado em uma nova postagem, tão logo os documentos sejam apresentados.

 

 

TARADO... POR CONTRATO

Um simples levantamento realizado junto ao sistema “Contas na Mão”, do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão  revelou que o dono do Laboratório de Análises Clínicas do Maranhão (Lacmar) também tem uma ‘tara’ por contratos com o poder público. De acordo com os dados, a empresa possui seis contratos com o Governo e Prefeitura de São Luís que somam R$ 13,6 milhões.


Gostou do post? Deixe um comentário e/ou compartilhe!

Você não está logado. Você pode comentar como anônimo, mas para os seus comentários serem associados a seu perfil e você poder altera-los posteriormente faça login

Infelizmente alguns emojis não aparecerão nos comentários.


Comentários

Leia meus outros textos

Foto de capa do texto 03 de abril de 2019
"Os inimigos ocultos não têm coragem de me enfrentar", diz Astro de Ogum

Foto de capa do texto 02 de abril de 2019
Sucessão na UFMA: Perguntas ainda sem respostas